menu

Holacracia — Entendendo a estrutura

Por

Holocracia

No começo de março estive em um treinamento de cinco dias sobre Holacracia, em San Francisco, com o próprio Brian Robertson, criador do método. O treinamento é muito bom e bem puxado.

Diferentemente do que eu tinha imaginado, havia pessoas das mais diversas indústrias lá, inclusive um CEO de uma empresa da indústria armamentista norte-americana, fabricante de partes para bombas nucleares — essa empresa já utilizava Holacracia.

O treinamento me ajudou a criar uma nova visão sobre o assunto, então vou tentar abordá-lo sob essa nova perspectiva.

O que é a Holacracia

Já abordamos esse tema, mas vou tentar dar mais uma pincelada dizendo que Holacracia é uma máquina simples, mas poderosa, alimentada por tensões para geração de melhoria contínua, tanto nos aspectos táticos quanto de governança.

Outro aspecto interessante é que a Holacracia não é um produto da genialidade de uma pessoa, ou mesmo de um grupo de pessoas, é o resultado que emergiu em um cenário complexo-adaptativo.

A Holacracia é Lean?

Outro aspecto que não tinha me atentado é que a Holacracia é bastante alinhada com muitos princípios e práticas do Lean. Alguns saltam aos olhos, como trabalhar com lotes pequenos; decidir no último momento responsável; a ideia do Just-In-Time, etc.

Lotes pequenos: A Holacracia é um pequeno conjunto de regras muito simples (veja nosso post sobre complexidade) que trata uma, e apenas uma, tensão por vez. Não se procura resolver todos os problemas ou planejar antecipadamente tudo.

Sistema puxado: Como as mudanças só podem ocorrer na medida em que há demanda por elas, pode-se dizer que se trata de um sistema puxado Just-In-Time, em que o sinal para gerar mais regras é a tensão a ser tratada.

Lean Startup: Toda a ideia também está alinhada com o Lean Startup, em que cada mudança é de fato um experimento que pode ser removido ou alterado a qualquer momento. A grande diferença , contudo, é que a abordagem é mais probe-sense-learn (provar-ter ciência-aprender) que o famoso build-measure-learn (construir-medir-aprender).

Papéis — A peça fundamental

Papéis

Em relação à estrutura da Holacracia, a peça fundamental é a construção chamada de “papel”.

Um papel (role) é parecido com o que usamos comumente em software: o desenvolvedor, analista financeiro, product owner, etc. Uma diferença é que os papéis devem ser criados sob demanda (lembre-se, precisamos de uma tensão) e normalmente um papel é composto por um título, um propósito, algumas responsabilidades e talvez alguns domínios (na linguagem da Holacracia significa um tipo específico de restrição, mas detalharemos melhor esse ponto em outro post).

Círculos

Se você vem lendo nossa série, deve ter reparado algo sobre os círculos. Sim, círculos também são papéis, e como tal, tudo que se fala de papéis, obviamente se aplica aos círculos igualmente.

Logo que se instala uma Holacracia em uma empresa pequena, existe apenas um único círculo chamado de “círculo global” e seu propósito coincide com o da própria empresa.

Como surgem os círculos?

De forma semelhante ao que acontece no desenvolvimento de um pedaço de software em que é comum que comecemos de forma bastante simples e aos poucos passamos a extrair entidades para isolar comportamentos, ou seja, criar encapsulamento. Com isso diminuímos a complexidade do software e aumentamos a facilidade de adicionar mais funcionalidades, essa extração de uma entidade seria a criação de um círculo.

Ainda na analogia com o desenvolvimento de software, toda interação com um círculo é feita por meio de uma interface muito bem definida. Atinge-se assim a mesma diminuição de complexidade e clareza nas interações internas.

Como criar um círculo/papel

Lembrando, mais uma vez: um círculo é um papel. A criação de um novo círculo pode se originar de alguma “tensão” sentida por algum outro um papel, tendo como resultado, um novo círculo.

Veja um exemplo:

Proponente:  (Papel de representante de Vendas): Estou com o seguinte problema: nunca sei com quem falar sobre algum projeto de software que temos, também não sei de quem esperar o retorno, é uma bagunça isso aqui.

Facilitador: Você tem alguma proposta então?

Proponente: Tenho. Proponho que seja criado um novo papel; um novo círculo. O propósito deste novo círculo será “Entregar software de qualidade” com a responsabilidade de “Criando e mantendo sistemas de software”. E com domínio sobre os servidores. Os papéis que comporão esse novo círculo serão o de desenvolvedor e o de Scrum Master.

Como vimos nas decisões por emergência integrativa, caso não surjam objeções, a proposta estaria aceita, ou, mesmo surgindo objeções, essas poderiam ser integradas para que novas tensões não fossem geradas, resultando, assim, um novo círculo (papel).

Pessoas e papéis

Um papel é como se fosse o corpo que precisa de uma alma para ter vida. As pessoas trabalhando na organização “energizam” os papéis; uma mesma pessoa pode energizar, ou caso prefira, ser a alma de vários papéis.

Em um post futuro devemos falar mais detalhadamente dos papéis criados assim que a Holacracia é adotada, principalmente daqueles papéis que representam os círculos, tais como o Link Principal, o Link Representativo e o Link Cruzado (Link Cross).

Conclusão

A Holacracia é uma solução bastante alinhada (cruzamento de gens) com o Agile e com o Lean para estruturar uma organização sob demanda, tornar os relacionamentos mais claros e estabelecer um framework para elaboração das “regras do jogo” atendendo ao propósito da organização.


 

Referências:

Vídeo sobre sense-respond:

http://vimeo.com/52488592

About the author: Leonardo Campos

Leonardo Campos trabalha na área de TI desde 2000, atuou boa parte deste tempo como desenvolvedor Java, mas também desenvolveu profissionalmente com Ruby, .NET, VB, PHP e ASP. Desde do começo de 2009 vem atuando com Agile e hoje trabalha na ThoughtWorks Brasil. É estudioso de processos e entusiasta de Lean e Agile, sendo um dos organizadores do Lean Coffee São Paulo e editor da InfoQ. Leonardo é advogado por formação (Universidade Presbiteriana Mackenzie).
LinkedIn
@leonardocampos

4 comments

  1. Larissa

    Boa noite,

    Leonardo, parabéns pela publicação, ficou muito completa.

    Ainda haverá continuidade da série sobre Holocracia?

    Obrigada,

    Larissa

    Posted on junho 6, 2014
    • Leonardo Campos

      Olá, Larissa, obrigado pelo elogio 😉

      Quanto à continuidade da série, não tenho nada planejado, vai depender mais de cruzar com algum assunto interessante relacionado com a Holacracia. Vc queria que aprofundasse em algum ponto específico?

      Abs,
      Leo

      Posted on julho 11, 2014
  2. Carlos Sangiorgio

    Super didático. Parabéns!

    Posted on agosto 5, 2014
  3. Pingback: Holacracia: caos na Zappos? | Kudoos

Leave your reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Go to top