menu

Problemas — Não tape o sol com a peneira

Por

“As pessoas sensatas se adaptam ao mundo; as insensatas persistem em tentar adaptar o mundo a elas. Dessa forma, todo o progresso depende dos insensatos.” —George Bernard Shaw (1856–1950)

Está tranquilo com o Agile?

Responda rápido:

O que você prefere: tranquilidade ou melhoria contínua?

Caso você tenha respondido tranquilidade, Andy Hunt, um dos signatários do Manifesto Ágil, disse, em seu post chamado “meditação guru“:

Já faz mais de dez anos que cunhamos o termo Agile. Você está confortável em ser ágil? Se estiver, má notícia, significa que você está fazendo tudo errado.

O Agile não é feito para ser confortável, ou seja, uma de suas principais ideias é justamente realizar a melhoria contínua. Para tanto, é preciso ter em mente que não só é necessário trazer os problemas à tona o mais rápido possível, como também enfrentá-los de frente assim que surjam em seu caminho. Enfrentar, certamente, não significa jogar para baixo do tapete, ok?

Problemas à vista

Tenho visto o Scrum e principalmente o Kanban, com seus limites de trabalho em progresso (limites de WIP), trazerem problemas à tona muito rapidamente. Mas, infelizmente, é comum que a primeira reação ao enfrentar um problema que foi evidenciado pelo limite de WIP seja — surpreenda-se — remover os limites de WIP, ou, em outras palavras, tapar o sol com a peneira.

Uma analogia muito interessante que um amigo, arquiteto de software, fez, foi dizer que remover (ou aumentar indevidamente) o limite de WIP, é semelhante a aumentar a memória quando um software apresenta vazamento de memória. Ganha-se apenas tempo, pois o problema continua lá e sua causa-raiz não foi identificada.

O que fazer então?

Antes de mais nada, CORAGEM. Aliás, esse é um dos valores do Scrum. Uma vez que se tenha a coragem de enfrentar os problemas, é fundamental que em conjunto com a equipe haja uma discussão sobre as razões do problema evidenciado. Podem ser utilizadas técnicas específicas como os 5 por quês, A3, dentre outras, para se chegar à causa-raiz do problema. Assim que identificada a causa, deve-se propor ações, executá-las e monitorar seus efeitos, afinal, nem sempre as ações propostas trazem os resultados desejados.

Conclusão

Se pretendemos evoluir continuamente, quanto mais rápido resolvermos os problemas melhor, então, não tape o sol com a peneira: arregace as mangas e ENFRENTE os problemas com coragem.

Leave your reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Go to top