menu

O Project Model Canvas – Primeiras impressões

Por

No finalzinho do mês de março, o prof. José Finocchio esteve na Editora Abril palestrando sobre o Project Model Canvas (ou Canvas de Projeto), que é um modelo desenvolvido por ele para auxiliar, principalmente, na concepção dos projetos.

Vou contar um pouco minhas impressões.

O Project Model Canvas (PMC)

Para quem está familiarizado com o Business Model Canvas (BMC), [veja mais sobre BMC no Kudoos] pode parecer mais do mesmo, porém o propósito é bem diferente. O problema que se pretende resolver é tornar fácil a concepção rápida e colaborativa de um projeto, ao mesmo tempo em que se considera várias perspectivas no objetivo de levantar possíveis problemas já na origem.

Kudoos-ProjectCanvas2

O PMC procura responder às questões do 5W1H (What, Where, When, Why, Who, How) e oferece uma forma de visualizar as interconexões entre os elementos, o que ajuda a identificar problemas. Pode-se, por exemplo, verificar se todas as entregas possuem alguém no lado da equipe capaz de produzí-las. Outro exemplo seria verificar se todas as justificativas (normalmente problemas a se resolver) têm uma resolução no bloco dos benefícios.

 

 

 

E o Agile com isso?

As metodologias ágeis como o Scrum ou o XP, não costumam abordar a fase de concepção do projeto. Veremos como a proposta do PMC não conflita com os valores do Manifesto Ágil.

Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas
Software em funcionamento mais que documentação abrangente
Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
Responder a mudanças mais que seguir um plano

O PMC, por ser uma ferramenta de facilitação, dá aos indivíduos e interações um valor maior que o normalmente visto nessa fase do projeto e é bastante indicado que o cliente participe dessa elaboração, inclusive.

Em relação ao quarto princípio [Responder a mudanças mais que seguir um plano], não tinha ficado claro para mim se estava ou não sendo atendido. No momento das perguntas, pude explorar esse ponto e o prof. Finocchio esclareceu que o PMC era indiferente à maneira que o projeto seria posteriormente conduzido, servindo, principalmente, para o momento da concepção e apenas como informativo durante o desenrolar do projeto.

Minha opinião

O fato de ser visual, fácil de fazer, colaborativo e apoiar a validação do projeto de maneira macro, faz do PMC uma ferramenta útil.

Pretendo experimentá-lo nos projetos que estão para começar e talvez faça o exercício com os projetos que já estão em andamento para ver como as coisas se encaixam.

Trata-se, por fim, de mais um item na nossa enorme caixa de ferramentas. 🙂

Se você já usa ou vier a usar, por favor, compartilhe sua experiência com a comunidade.


Referências e links úteis
Modelo do canvas para download
BMC no Kudoos

Modelo eletrônico no google docs (via post do autor):
http://www.rildosan.com/2013/04/project-model-canvas-pmc-no-google.html

9 comments

  1. Farhad Abdollahyan

    Eu usei já umas cinco vezes (três em aula e duas vezes em consultoria). E é excelente se bem usado!

    Posted on abril 4, 2013
    • Leonardo Campos

      Farhad, obrigado por compartilhar sua experiência 😉

      Posted on abril 5, 2013
  2. Rildo

    Sou consultor e professor, na minha experiência ela funciona muito bem em PME e em sala de aula.

    Posted on abril 6, 2013
  3. Markku

    Prezado Leonardo,

    Fiquei interessado em PMC, mas provavelmente devido a minha capacidade limitada de TI só consigo abrir desenho (arquivo pdf) sem funcionalidades.
    Como posso obter versão “viva”?

    Obrigado,
    Markku M

    Posted on abril 8, 2013
    • Leonardo Campos

      Juca,
      Agradeço a contribuição, pois ajuda muito para nosso aprendizado como comunidade.
      Vou depois pesquisar se os mecanismos internos são os mesmos, mas de fato são bastante semelhantes e o do Kalbach é mais antigo.

      Muito obrigado!

      Posted on junho 22, 2013

Leave your reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Go to top